Afinal, ejaculação feminina é verdade? Existe mesmo ou é mito?

Postado em 28/04/2016

mulher-na-cama

Tratada como um mito e também como uma grande verdade, a ejaculação feminina é um assunto controverso dentro do universo do sexo. Algumas mulheres acham que é urina ou lubrificação vaginal. Outras já acreditam que é realmente ejaculação, igual a do homem. E agora? A SexDesejo vai te falar alguns fatos sobre a tal ejaculação feminina.

Sim, ela existe, mas há controvérsias

Embora os médicos não consigam comprovar de fato de onde vem o gozo feminino, existe um estudo que relaciona a ejaculação às glândulas de Skene, que ficam próximas ao clitóris e abertura da uretra. Alguns sexólogos e pesquisadores acham que ela é apenas incontinência urinária. Porém, ela foi citada por Aristóteles e também na antiga medicina grega.

Se ela existe, não é igual a ejaculação do homem.

Esse líquido citado acima, que vem da glândula de Skene, é expelido durante o orgasmo naturalmente pela uretra e claro que não causa um jato tão potente quanto ao do pênis. O anatomista do século 16, Reigner de Graaf, associou a ejaculação feminina com as glândulas presentes na uretra, que mais tarde foram descritas pelo ginecologista Alexander Skene, do século 18. Do sobrenome Skene nasceu o nome: glândulas de Skene.

Não confunda lubrificação com ejaculação feminina

E mesmo assim, esse líquido controverso que sai é diferente da lubrificação natural da vagina quando a mulher fica excitada. Algumas mulheres produzem muita lubrificação que é expelida pela vagina assim que ocorrem as contrações do orgasmo. Porém, mesmo que os estudos dos séculos passados afirmem que ela existe, em 1983, a psiquiatra Helen Kaplan disse que a ejaculação feminina nunca foi cientificamente comprovada e é questionável.

Não é porque a mulher “ejacula” que terá um orgasmo mais intenso

Não fique imaginando que só as “abençoadas” pelo dom da ejaculação são as que têm os melhores orgasmos do mundo. E também não fique imaginando que a ejaculação feminina é como em um filme pornô. Conhecido como Squirting, as atrizes pornô bebem muita água ou até mesmo cerveja cerveja antes da gravação e urinam durante a cena para simular uma ejaculação. No ano de 2015, um hospital da França fez exames e testes em sete voluntárias que liberavam líquidos logo após o orgasmo. Em todos os casos analisados, o líquido era urina.

É isso o ponto G?

A estimulação da região do “ponto G” fica muito próximo das glândulas que são responsáveis pela ejaculação feminina. É por isso que tantas mulheres vivem em busca desse ponto e de um prazer sexual inesquecível. Mas os especialistas em sexo garantem que é possível gozar com a estimulação externa, fazendo pressão no clitóris e na uretra. Alguns vibradores ajudam você com o encontro do ponto G, clique aqui e confira.

Que tal começar a explorar o seu?


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *